sábado, 6 de agosto de 2011

Long Time ...

... sem noticias neste canto.
Estou viva e de saúde. Lutando pela sobrevivência neste país que teima em não dar certo.
Don´t ever give up.

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Relacionamentos

Cada vez mais me me convenço que o melhor objecto de investimento são as pessoas, os relacionamentos. Reconhecer o potencial de uma pessoa e conseguir visualizar o que essa pessoa poderá ser é uma dádiva divina. Não colocar essa dádiva ao serviço das pessoas é um crime, punível com uma natural insatisfação diária.
É fascinante a diversidade e é uma benção poder lidar com pessoas.

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

Precisa-se de matéria prima para construir um País

A crença geral anterior era de que Santana Lopes não servia, bem como Cavaco, Durão e Guterres. Agora dizemos que Sócrates não serve. E o que vier depois de Sócrates também não servirá para nada.
Por isso começo a suspeitar que o problema não está no trapalhão que foi Santana Lopes ou na farsa que é o Sócrates.
O problema está em nós. Nós como povo. Nós como matéria prima de um país.

Porque pertenço a um país onde a ESPERTEZA é a moeda sempre valorizada, tanto ou mais do que o euro.
Um país onde ficar rico da noite para o dia é uma virtude mais apreciada do que formar uma família baseada em valores e respeito aos demais.
Pertenço a um país onde, lamentavelmente, os jornais jamais poderão ser vendidos como em outros países, isto é, pondo umas caixas nos passeios onde se paga por um só jornal E SE TIRA UM SÓ JORNAL, DEIXANDO-SE OS DEMAIS ONDE ESTÃO.
Pertenço ao país onde as EMPRESAS PRIVADAS são fornecedoras particulares dos seus empregados pouco honestos, que levam para casa, como se fosse correcto, folhas de papel, lápis, canetas, clips e tudo o que possa ser útil para os trabalhos de escola dos filhos... e para eles mesmos.
Pertenço a um país onde as pessoas se sentem espertas porque conseguiram comprar um descodificador falso da TV Cabo, onde se frauda a declaração de IRS para não pagar ou pagar menos impostos.
Pertenço a um país:
-Onde a falta de pontualidade é um hábito;
-Onde os directores das empresas não valorizam o capital humano.
-Onde há pouco interesse pela ecologia, onde as pessoas atiram lixo nas ruas e, depois, reclamam do governo por não limpar os esgotos.
-Onde pessoas se queixam que a luz e a água são serviços caros.
-Onde não existe a cultura pela leitura (onde os nossos jovens dizem que é 'muito chato ter que ler') e não há consciência nem memória política, histórica nem económica.
-Onde os nossos políticos trabalham dois dias por semana para aprovar projectos e leis que só servem para caçar os pobres, arreliar a classe média e beneficiar alguns.
- Onde as cartas de condução e as declarações médicas podem ser 'compradas', sem se fazer qualquer exame.
-Onde uma pessoa de idade avançada, ou uma mulher com uma criança nos braços, ou um inválido, fica em pé no autocarro, enquanto a pessoa que está sentada finge que dorme para não lhe dar o lugar.
- No qual a prioridade de passagem é para o carro e não para o peão.
-Onde fazemos muitas coisas erradas, mas estamos sempre a criticar os nossos governantes.

Quanto mais analiso os defeitos de Santana Lopes e de Sócrates, melhor me sinto como pessoa, apesar de que ainda ontem corrompi um guarda de trânsito para não ser multado.
Quanto mais digo o quanto o Cavaco é culpado, melhor sou eu como português, apesar de que ainda hoje pela manhã explorei um cliente que confiava em mim, o que me ajudou a pagar algumas dívidas.

Não. Não. Não. Já basta.

Como 'matéria prima' de um país, temos muitas coisas boas, mas falta muito para sermos os homens e as mulheres que o nosso país precisa.
Esses defeitos, essa 'CHICO-ESPERTERTICE PORTUGUESA' congénita, essa desonestidade em pequena escala, que depois cresce e evolui até se converter em casos escandalosos na política, essa falta de qualidade humana, mais do que Santana, Guterres, Cavaco ou Sócrates, é que é real e honestamente má, porque todos eles são portugueses como nós, ELEITOS POR NÓS . Nascidos aqui, não noutra parte...

Fico triste.Porque, ainda que Sócrates se fosse embora hoje, o próximo que o suceder terá que continuar a trabalhar com a mesma matéria prima defeituosa que, como povo, somos nós mesmos. E não poderá fazer nada...

Não tenho nenhuma garantia de que alguém possa fazer melhor, mas enquanto alguém não sinalizar um caminho destinado a erradicar primeiro os vícios que temos como povo, ninguém servirá.
Nem serviu Santana, nem serviu Guterres, não serviu Cavaco, nem serve Sócrates e nem servirá o que vier.

Qual é a alternativa ?
Precisamos de mais um ditador, para que nos faça cumprir a lei com a força e por meio do terror ?

Aqui faz falta outra coisa.
E enquanto essa 'outra coisa' não comece a surgir de baixo para cima, ou de cima para baixo, ou do centro para os lados, ou como queiram, seguiremos igualmente condenados, igualmente estancados... igualmente abusados !

É muito bom ser português. Mas quando essa portugalidade autóctone começa a ser um empecilho às nossas possibilidades de desenvolvimento como Nação, então tudo muda...
Não esperemos acender uma vela a todos os santos, a ver se nos mandam um messias.

Nós temos que mudar. Um novo governante com os mesmos portugueses nada poderá fazer.
Está muito claro... Somos nós que temos que mudar.
Sim, creio que isto encaixa muito bem em tudo o que anda a acontecer-nos:
Desculpamos a mediocridade de programas de televisão nefastos e, francamente, somos tolerantes com o fracasso.
É a indústria da desculpa e da estupidez.

Agora, depois desta mensagem, francamente, decidi procurar o responsável, não para o castigar, mas para lhe exigir (sim, exigir) que melhore o seu comportamento e que não se faça de mouco,de desentendido.

Sim, decidi procurar o responsável e ESTOU SEGURO DE QUE O ENCONTRAREI
QUANDO ME OLHAR NO ESPELHO .AÍ ESTÁ. NÃO PRECISO PROCURÁ-LO NOUTRO LADO.

E você, o que pensa ?... MEDITE !

EDUARDO PRADO COELHO in Público (pouco antes de partir a 25.08.2007)

terça-feira, 4 de agosto de 2009

De passagem ...

De passagem entre Lagos, Torres Vedras e Silves, aproveito para desejar àqueles que estão de férias um bom e merecido tempo de descanso, para os outros ... olhem meus queridos, aguentem que eu também o faço. O nosso tempo chegará ... eu por mim estou tipo forcada amadora atacando o Touro enraivecido que é esta crise económica, isto é, trabalhando que nem uma doida e NUNCA desistindo.

De 8 a 16 de Agosto visitem a AD LIBITUM - Tasca Alemã no Mercado Medieval de Silves
e nos entretantos visitem a
MOMENTVM - Chocolate,Chillout and More em Óbidos (Rua Direita)
ou em Lagos (Rua Infante Sagres, 9)
e apareçam na reabertura da MOMENTVM em Torres Vedras (Rua Paiva de Andrada 3B) no dia 12 de Setembro.

Até lá.

terça-feira, 14 de julho de 2009

Working as usual ...

Ando farta de trabalhar e de ver incompetência. Fico furiosa com a falta de brio, com o deixa andar. Talvez um destes dias chegue à conclusão que afinal a mula sou eu e não aqueles que aparentemente indiferentes a tudo e todos caminham por esta vida de uma forma tão banal. Enfim ...

sábado, 14 de fevereiro de 2009

...


"Os donos do capital vão estimular a classe trabalhadora
a comprar bens caros, casas e tecnologia,
fazendo-os dever cada vez mais, até que se torne insuportável.
O débito não pago levará os bancos à falência,
que terão que ser nacionalizados pelo Estado".

Karl Marx, Das Kapital, 1867

quinta-feira, 8 de janeiro de 2009

2009

Desejo a todos um excelente ano de 2009.
Que apesar do prenúncio tão negativo, este possa ser um ano onde
os desafios possam ser atingidos,
os obstáculos derrubados
e possamos crescer como indíviduos
certos de que a dificuldade
é a lima que aresta os nossos cantinhos.

quarta-feira, 24 de setembro de 2008

Obrigado Salvador

Finalmente comprei o testemunho partilhado e vivido de Salvador Vaz da Silva. Sei que há um tempo para tudo e também sem dúvida este foi o momento deste livro me escolher. Peguei nele ontem às 21h00 e só o deixei às 03 da matina. Não consegui parar. Obrigado, Salvador.

terça-feira, 8 de abril de 2008

domingo, 30 de março de 2008

Por duas semanas em Bona


Por duas semaninhas na minha segunda "casa"

segunda-feira, 28 de janeiro de 2008

Help me if you can ...

Em entrevista a Conceição Lino, o Ministro da Saúde sai-se com esta:
"Até os partidos da oposição dizem que o nosso sistema de saúde é excelente..."

SOCORRRRRRRRRRRRRROOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO

terça-feira, 20 de novembro de 2007

Uma semaninha de férias na Alemanha


Matar saudades e a visita anual obrigatória ...
estou cá desde a semana passada e volto neste fim de semana ... (suspiro).
Acima a universidade (belos tempos) e o Hofgarten da mesma (que é como quem diz um jardim do tamanho de dois campos de futebol ...)


sábado, 13 de outubro de 2007

Santa Cruz ...

Um passeio, uma foto, um estado de espírito.
Estou no sítio certo e estou bem comigo.
Cresci aqui neste cantinho e é aqui que quero estar ....

terça-feira, 9 de outubro de 2007

quinta-feira, 4 de outubro de 2007

Mercy Me - Homesick (Live)

O melhor texto que espelha o que sinto ao pensar em pessoas que amo e que partiram.

terça-feira, 18 de setembro de 2007

Planos e sonhos ...

Num filme que recentemente vi (Evan´s Almighty) uma das melhores, senão mesmo a melhor cena é quando o protagonista se encontra com Deus (protgonizado pelo absolutamente notável Morgan Freeman) e lhe diz que não tem planos para a sua vida, ainda tanto a fazer, tanto por concretizar e a resposta de Deus é olhando-o com ternura dar uma alegre gargalhada.

Há bem pouco tempo, andava muito entusiasmada com um projecto bem perto da minha casa e que parecia ser o ideal, o certo no tempo exacto.
Um sonho que se ia finalmente concretizar...

Acho que também nesta altura, Deus me olhou com ternura e gargalhou alegremente.

Não sei o que o futuro me guarda quanto a esse projecto, mas uma certeza tenho: Deus conhece e respeita os meus sonhos, mas acima de tudo quer o melhor para mim.
Com esta certeza olho com expectativa o futuro.

quinta-feira, 23 de agosto de 2007

A uniao faz a força

e nao é que é um exemplo que nós animais racionais na maior parte das vezes nao seguimos????

quarta-feira, 22 de agosto de 2007

Intermezzo

Ora aqui estou eu a dar noticias e prova de vida :)
Cansada mas feliz e preparada para o resto da temporada de trabalho.
Lá para Setembro estarei de volta. Portem-se bem!

sexta-feira, 6 de julho de 2007

segunda-feira, 18 de junho de 2007

Estreia do Grupo de Teatro Parlapatão

01 e 02 de Julho, 21h30
Grupo Desportivo da Serra da Vila - Torres Vedras
07 de Julho, 21h30
Salão da Casa do Povo de Monte Redondo - Torres Vedras

sexta-feira, 15 de junho de 2007

sexta-feira, 1 de junho de 2007

Fenómeno Maddie







Muito se tem escrito, falado, criticado e apontado acerca do tema do momento: o desaparecimento da pequena Maddie. A imprensa tem dado uma cobertura feroz ofuscando por completo outras noticias. Muita crítica a todo este mediatismo relativamente a esta criança quando pouco ou nada se ouve acerca dos restantes meninos e meninas ainda desaparecidos em Portugal.

Ao longo dos anos tenho minimamente acompanhado os esforços da mãe do Rui Pedro, que movida pelo amor ao filho e pelo sofrimento inexorável e visível não tem descansado.

Pois é um amor semelhante e um sofrimento igualável que, na minha opinião, faz mover todos os passos do casal McCann. É a meu ver o terror de ver a sua filhinha tornar-se, também ela mais um ficheiro numa lista e uma fotografia num cartaz de rostos infantis com a palavra que faz tremer o coraçaõ de qualquer pai, que leva este casal a usar todo e qualquer meio mediatico como um grito silencioso de desespero tendo como objectivo que "todo o mundo procure por Maddie".
A realidade é que na sociedade moderna e na qual todos nós nos inserimos e somos (uns mais outros menos) membros activos - assim que as imagens, as noticias, o "espectáculo" não nos é entregue numa bandeja o esquecimento, o passar à frente das coisas é normal e acontece à velocidade luz.
A diferença no caso da Maddie e do Rui Pedro é a resposta mediática, já que a situação de base é a mesma. É que o desaparecimento do Rui Pedro ou de qualquer outra das 8 crianças ainda desaparecidas em Portugal não aconteceram num complexo turístico e não foi preciso demonstrar ao mundo que se está a trabalhar no sentido de encontrar pistas, testemunhas, suspeitos, adns etc. As crianças portuguesas desaparecidas não tiveram a capacidade de encher títulos de jornais e ocupar tempos de antena nacionais, quanto mais internacionais.
Entendamos, respeitemos e aceitemos o desespero e a tentativa feroz do casal McCann de não deixarem esmorecer o interesse mediático pela sua filhinha. Gritemos a plenos pulmões e para quem quiser ouvir: Não desistam dos outros meninos e meninas, não deixem que o esquecimento os remeta aos armários de arquivo.

terça-feira, 29 de maio de 2007

Coerência ...

Acreditar em algo e não o viver é desonesto.
(Gandhi)

terça-feira, 22 de maio de 2007


A alegria adquire-se. É uma atitude de coragem.
Ser alegre não é fácil, é um acto de vontade.
(Gaston Courtois)

segunda-feira, 21 de maio de 2007

Não existe ...

Não existe o esquecimento total: as pegadas impressas na alma são indestrutíveis.
(Thomas De Quincey)

quinta-feira, 17 de maio de 2007

Tempo ...

Entrei numa livraria.
Pus-me a contar os livros que há para ler e os anos que terei de vida.
Não chegam! Não duro nem para metade da livraria!
Deve haver certamente outras maneiras de uma pessoa se salvar,
senão... estou perdido.

(Almada Negreiros - A Invenção do Dia Claro)